domingo, 1 de novembro de 2009

Segredos da menina

Tristeza total. A menina acabara de perder seu único irmão mais velho de uma família só de mulheres. Fora seu pai, a menina perdera uma de suas principais referências masculinas. O companheiro, o irmão mais velho, o amigo se fora para sempre. No meio de penumbras e sombras a menina ficou sozinha com sua tristeza e desolação. Nada tinha mais graça.

Era uma casa velha, humilde e simples. A menina movida por algum impulso, resolveu entrar. Entrou numa sala escura, onde apenas uma porta interna iluminava o pequeno cômodo. Seguindo este feixe de luz, a menina foi parar em um quarto de dormir. Lá havia uma senhora idosa, de cabelos compridos e brancos. A menina timidamente, se dirigiu à senhora, que lhe deixou totalmente à vontade.

Naquele momento nada havia, apenas um silêncio ensurdecedor. A cabeça da menina estava vazia, ela perecia não estar em lugar nenhum. Parecia anestesiada, flutuando pelo quarto, a menina observava os bibelôs na cômoda, vez e outra se atrevia a pentear o longo cabelo da anciã.

Silêncio no quarto. A menina por um segundo esqueceu porque estava ali.

"-Sabia que o teu irmão não é teu irmão?"

Aquilo veio como uma bomba na cabeça da menina, como assim, ela não estava entendendo que insanidade era aquela.

E a senhora, alheia aos sentimento da menina ainda completou:

"- Nem tua irmã é tua irmã... Eles não são filhos do teu pai. A tua mãe teve um outro marido antes do teu pai e ele se matou na frente deles quando os teus irmãos eram pequenos, porque a tua mãe queria se separar dele..."

Chega! Aquilo já era demais! A menina já não podia escutar nenhuma palavra vinda daquela mulher. Saiu correndo e chorando, rezando para que tudo que havia escutado tivesse sido um grande mal entendido, um pesadelo. Será que a menina havia enlouquecido?

Cheia de perguntas a menina ficou e sem nenhuma resposta a menina cresceu. Cresceu e virou uma mulher que sempre preferira ignorar os fatos, ou seja, não saber para evitar sofrer e se machucar. Até hoje ela é assim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário