quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Criaturas sem noção

Há muito tempo eu não escrevia. Não por falta de inspiração e sim por falta de tempo, pois histórias tenho de sobra para contar e minha imaginação vocês nem tem ideia de como anda fértil!

Mas aqui estou eu cá a divagar sobre as criaturas sem noção que aparecem no nosso caminho.

Estes dias saí com umas amigas num pubzinho irlandês de alta "catiguria", como diria o poeta, num bairro nobre de Porto Alegre, para rirmos juntas dançarmos e tomarmos uma cerveja. Aconteceu que a vontade de urinar, foi maior que a vontade de beber e eu tive ir ao "toalete".
Chegando, uma fila de gurias esperando a sua vez de "mijar". Eu que cheguei meio sem saber fui avisada educadamente pelas gurias sobre a fila. Ok, beleza, fiquei esperando então. Aí do nada, me chega uma criatura completamente embriagada, mal podendo ficar em pé, tomando champagne direto do gargalo, passando direto na frente de todas na fila. Ou seja, era minha vez de mijar e tentou passar na minha frente, mas eu não deixei:
- É minha vez! - disse eu.
- Nãão zzzou eu que vou. -disse a guria com essa voz de bêbada.
-Não, tu não vai, tu não tava na fila, é a minha vez. - e puxei a guria por um braço e empurrei ela pra fora da "patente".
Aí a guria me chamou de chinela, disse que o pub estava uma chinelagem, que só faltava eu beber a champagne dela.... que só o que faltava ela entrar em fila... Sem noção! A guria estava tão bêbada, mas tão bêbada, que ela foi embora logo depois do epsódio, porque nem parava em pé.

Outro sem noção: Um carinha bem apessoado, estava de olho em uma das minhas amigas num barzinho, só que o cara estava acompanhado de uma loira. Mas o cara bem sem noção, primo do Joselito (sabem, o Joselito, , o sem noção) volta e meio vinha conversar com a gente e deixa a loira de molho e depois voltava lá com ela. Nem eu, nem minhas amigas estávamos achando aquilo bonito. Até que em mais uma das investidas do cara a nossa mesa ele chegou e disse que tinha mandado a loira pastar para ficar com a minha amiga. Mas a minha amiga ficou fazendo jogo duro a noite toda e disse que só sairia com ele num outro dia. Na hora irmos embora o cara se despediu da minha amiga, dizendo o seguinte:
-Então tá. Eu vou te ligar, vou te ligar mesmo. Pra gente transar um pouco, ficar juntinhos...
Não, olha, este foi totalmente sem noção! E pior que ela não nos contou, nós mesmas ouvimos! A minha amiga não sabia onde enfiar a cara, não sabia de xingava, se ria, se chorava... Nós não podiamos nem nos olhar, eu então dei-lhe uma "gaitada"!

Eu confesso que sou uma professora sem noção, mas as vezes meus alunos fazem algo sem noção!
Durante dois conselhos de classe dois alunos cometeram algo que eu não diria sem noção, mas sim muito inusitados. A sem noção fui eu que não consegui ser profissional o suficiente para segurar o riso, mas me diga, que seria?
Na primeira situação, estavamos todos em reunião professores e alunos discutindo um assunto totalmente pertinente, quando um dos meus alunos mais queridos e de bom coração do grupo de jovens e adulto, tirou os tênis e colocou talco para pés, dentro dos tênis em plena reunião. Os alunos vendo aquela cena, desataram a rir, e os professores impassíveis, menos eu, que tive que até sair do recinto para rir. Sem noção!
Na segunda situação, o outro aluno, um tanto quanto excêntrico, já tinha tido várias atitudes estranhas que mostravam que ele estava querendo chamar atenção, tipo falar no celular, ouvir música e conversar durante a reunião. Mas a top ten desta noite nem se compara a esta que o aluno fez. Estámos todos numa calorosa discussão, quando o aluno levanta de seu lugar, vai a frente, pega a lixeira e na lixeira acha um copo de plástico. Neste copo de plástico, ele solto um sonoro catarro. Em alto e bom som. Para todo verem, rirem e ouvirem. Eu não sabia se eu ria, vomitava ou me mijava de tanto rir. Ali todos perderam a compostura. Esta cena foi bizarra, foi algo... sem noção!

Nenhum comentário:

Postar um comentário