terça-feira, 2 de novembro de 2010

Amizade Colorida

* Qualquer semelhança com caso verídico é mera coincidência. Esta postagem pode conter material inadequado para menores de 14 anos.

- Tu estás me seguindo?
- Um pouquinho, talvez...
Ele riu, um tanto quanto sem graça, enquanto ela o analisava de dentro de seu carro.
- Tu me disseste que me ligaria logo.
- Bom... tu não me deste tempo para isto.
- Sabe, eu estou chateada contigo... tu não me convidaste pro teu aniversário e eu perdi uma prova de penal por causa tua.
Ele que estava prestes a entrar no carro dele, mudou de ideia. Não disse nada, só ouviu o que que ela tinha pra falar.
- Será que tem um jeito de tu me compensares por isso?
- De que jeito tu queres que eu te compense? -indagou-lhe, debruçado à janela do carro dela.
- Vamos passar esta noite juntos na minha casa. Entra no meu carro.
- Vamos. Pela nossa amizade.
- Pela nossa amizade.
E ele entrou no carro dela. Ela foi dirigindo em alta velocidade.
- O que tu falaste sobre mim para o Gigante?
- O quê? Como assim? Não falei nada.
- Falou nada o caralho!
- Calma, eu falei que nós somos amigos!
- Mentira!
Ela pisou mais rápido no acelerador.
- Ei, o que tu estás fazendo? Vai devagar!
- Por que tu falaste pro Gigante que eu era uma das tuas parceiras de cama?
Ele ficou sem fala. Suava frio.
- Puta que o pariu! E tu me vens com esta história de amiga!
E ela começou a bater com a cabeça na buzina do carro sem olhar para o trânsito, que fluía normalmente e ele apavorado gritava:
- Olha pra frente!
- Eu não sou tua amiga!
- Por favor, presta atenção na direção! - implorava ele, ao ver ela dirigindo que nem uma louca, em alta velocidade, sem que ele pudesse fazer muita coisa.
- Amigos não trepam!
Ele tentam auxiliar na direção do carro, mas em vão, pois ela estava enlouquecida. Cada vez mais acelerava o carro.
- Tens ideia de como é difícil pra mim fingir que sou tua amiga? Nós tínhamos um compromisso!
- Um compromisso? - perguntou ele, nervosamente, quase que se arrependendo da pergunta.
- Nós transamos quatro vezes! Você entrou dentro de mim! Eu engoli o seu esperma! Isso já é um compromisso!
Neste momentos ela começa a passar em todos os sinais vermelhos e por pouco não bate num caminhão.
- Para o carro! Para este carro!
- Eu te amo!
E o carro atinge a velocidade de 140 km por hora.
-Eu te amo, não dá pra perceber? Eu fico sempre com esta expectativa de quando será que tu vais me ligar pra gente fazer alguma coisa juntos. Não aguento mais esta história de amigos.
- Tá bom, então para o carro e vamos até a tua casa conversar sobre isto.
- Me responde uma coisa, o que é a felicidade pra ti?
Ele ficou atônito, sem resposta, com aquela pergunta repentina. Enquanto isso ela continuava acelerando.
- Porque pra mim, felicidade é estar contigo.
- Tá. Eu te amo! Tá bom, eu te amo! - diz ele nervoso, como que para tirar um peso da consciência.
Ela sorri, pisa mais fundo no acelerador e joga o carro em direção a uma ponte e o carro cai de uma altura de aproximadamente três metros de altura. Ela morre na hora, ele fica uma semana e em coma mas sobrevive. Seu rosto fica totalmente deformado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário