sábado, 27 de novembro de 2010

Carta de Adeus de Lindinha a Dadinho

Dadinho, não tem sido fácil para mim reprimir meus pensamentos em relação ao que tenho sentido por ti, depois daquele beijo. Uma vez em nossas conversas te falei que eu não pensava, eu fazia. Mas hoje diante de tudo, prefiro pensar, imaginar como seria e fantasiar, do que fazer. A dor é menor.

Acredito agora, que preferiria desfrutar muito mais da tua companhia como um bom amigo, um companheiro, pois nunca me senti tão sozinha como estou me sentindo agora, depois que nos beijamos. E não deveria ser o contrário?

Alguém uma vez me disse que nós somos os responsáveis pelas nossas escolhas. Às ganhamos ou perdemos e não podemos ter tudo. É complicado arriscar e eu nunca me sentiria à vontade sabendo que eu construí a minha felicidade em cima da infelicidade alheia.

Mas também acredito que a gente é responsável por aquilo que a gente cativa. E de uma certa maneira somos responsáveis, um pelo outro.

Nós estamos confusos. Melhor dar tempo ao tempo e quando esta tempestade de areia passar, tu podes ter certeza que eu continuarei sendo tua boa amiga.

Eu não quero assistir a minha vida passar por mim, tão infeliz, eu tenho que encontrar o meu lugar, eu só quero ser feliz, sim, estou apenas tentando ser feliz.

Pensa na tua vida. O que tu queres. O que é a felicidade para ti?

Vai e sê feliz.

Adeus, Dadinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário