domingo, 28 de novembro de 2010

O show que eu não fui

Estes tempos aconteceu aqui em Porto Alegre o show da cantora Ivete Sangalo no Gigantinho. Eu queria tanto ter assistido este show... Só eu sei o porquê!

Vocês podem até me achar um tanto quanto redundante. Eu não assisti o show porque não fui, vocês devem estar pensando. Nada disso, eu fui ao show e não assisti, dá para acreditar?

A história que vou lhes contar se deu da seguinte maneira. A minha sobrinha Carol me convidou para assistir ao show do Centenário do Internacional, que ocorreu ano passado. Ela iria, pois tinha a carteira de sócia e só eu iria nas seguintes condições, se o meu cunhado, o pai dela, não fosse, pois ele me emprestaria a carteirinha dele e então eu iria no lugar dele.

Paralelamente a isso, eu vivia um namoro muito turbulento, com um rapaz um pouco mais jovem que eu, muito inseguro e possessivo. Ele tinha um humor instável e eu também, por minha vez não era fácil. Nós brigávamos muito e por conta de nossos gênios incompatíveis. Cada vez que a gente brigava, ou ele fazia um escândalo na frente das pessoas (fosse da minha família, amigos, colegas, vizinhos ou familiares dele), ou ele saía em rompantes com atitudes explosivas. Várias vezes tentamos terminar, e naquela época do show do Centenário, nós tínhamos ficado afastado por um mês. Ao reatar, mais uma vez, sem sucesso (e esta foi a última chance!), achei que iria ser diferente. Para minha decepção, foi pior! Por ele ser super inseguro, ele já estava abalado com o fato de que nas férias, eu iria passar uns dias no Rio de Janeiro, só eu e a Carol. Aí quando soube, que do show do Centenário, "sentou num porco"! Ficou louco de ciúmes.

O que ocorreu foi o seguinte, o meu cunhado resolveu ir ao show do Centenário e tão grande era a vontade da Carol de que eu fosse, ela resolveu me comprar um ingresso. Só que ao comprar um produto do Inter, o meu cunhado, ganhou um ingresso extra e resolveu dar para Carol, que já havia comprado meu ingresso.

Mais do que depressa, resolvemos convidar meu então namorado. Como ele não atendia de jeito nenhum, fomos para o estádio do Beira Rio e ficamos ligando de lá, entre três pessoas, eu, a Carol e um amigo nosso. Ligamos insistentemente, até ele atender.

Demorou um tempão até ele finalmente chegar. Ele não estava muito amistoso, deu para ver pelas suas feições. Só deu para assistir ao show do Zeca Pagodinho, que precederia o show da Ivete.

Quando começou o show do Ivete Sangalo, com todos aqueles efeitos, luzes e aquela música, "vai buscar Dalila...", surgiu Ivete no palco. Mal deu tempo de aproveitar aquele, porque ainda teria mais. Eu não pude acreditar quando o meu namorado na época, começou a me indagar milhares de coisas a respeito daquele show, coisas sem o menor sentido. Que eu o iria traí-lo, coisas sobre a minha viagem ao Rio, começou a me xingar, a me questionar, a me cobrar, inventar coisas que não faziam o menor sentido e discutir ali não tinha o menor cabimento! Ele ficou a noite toda me torturando psicologicamente, ameaçava que iria embora, mas ficava ali, me aflingindo e me magoando. Burra fui eu que aceitei. Passei a maior vergonha na frente da minha sobrinha e do meu amigo, sem contar que todos no estádio ficavam olhando ele brigar comigo.

Nem preciso dizer que foi o pior show da minha vida. Não vi nada. Por muito tempo doeu falar sobre este assunto.

Mas esta história que eu lhes contei, não foi para me vitimizar, foi para mostrar-lhes que a nossa vida é o resultado de nossas escolhas. Somos responsáveis pela vida que nós próprios criamos. Quem terá a culpa, a quem cabe o sucesso, senão a nós mesmos? Quem pode mudar nossas vidas, a qualquer momento, senão nós mesmos?

Coisas ruins nos acontecem. O tempo todo. Mas isto não é o pior. O que de pior pode nos acontecer é acontecer nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário