sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Flor do Deserto

Ontem assisti um filme que me chamou muito a atenção. "Flor do Deserto" conta a história de uma modelo somali chamada Waris Dirie que aos três anos de idade sofreu mutilação genital feminina.  Aos doze anos de idade, Waris Dirie foge da aldeia em que vivia com a família, um dia após saber que seria obrigada por seu pai a se casar com um homem de 60 anos, do qual seria a quarta esposa. A menina então, atravessou sozinha um desertos inteiro, sofrendo com fome e sede e ficando com vários ferimentos nos pés, dos quais até hoje têm as cicatrizes. Sobreviveu e chegou até a capital de seu país, onde encontrou a sua avó que após algum tempo arranjou que sua neta fosse levada a Londres para trabalhar como faxineira na Embaixada da Somália.

Passou a adolescência apenas trabalhando na Embaixada, sem sair da casa onde esta se localizava, por isso mal aprendera a falar o idioma inglês. Após o término de uma Guerra na Somália todos da Embaixada foram chamados a retornar ao país. Waris Dirie foge pelas ruas de Londres e com ajuda de uma mulher, que tornou-se sua amiga, conseguiu emprego como faxineira em uma lanchonete. Enquanto trabalhava lá, foi observada por um famoso fotógrafo que a inseriu nas passarelas do mundo fashion.

Hoje mundialmente conhecida, Dirie luta contra a prática da mutilação genital feminina, além de ter se tornado embaixadora da ONU.

Vale a pena assistir, pois não se trata de um filme pesado, apesar dos assuntos que ele aborda. Este filme é um exemplo de resiliência, que é a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário