segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Os Fios da Fortuna


Lembro exatamente da primeira vez que li  "Os Fios da Fortuna", foi-me emprestado e dito que eu apenas lesse pois iria gostar. Foi o que exatamente aconteceu, pois me identifiquei de alguma maneira com aquela história.

Este foi um dos melhores livros que já li, e este ano casualmente o encontrei numa oferta na Feira do Livro de Porto Alegre. Resolvi comprá-lo juntamente com outros livros, para não correr o risco de ficar sem nenhuma leitura, pois na minha opinião os livros são essenciais.

Estou lendo-o novamente e no entanto parece que esta é a primeira vez que estou lendo, tamanha a riqueza de detalhes, que eu já havia esquecido.
"Os fios da fortuna" é um livro excelente e extremamente bem escrito. Não deixa de ser um romance histórico e vem com uma trama de superação.

Eis aqui uma pequena amostra deste livro maravilhoso, que eu recomendo:
" A passagem de um cometa amaldiçoado pelos céus de uma aldeia vira de cabeça para baixo a vida de uma jovem artesã. Após perder o pai e , consequentemente, a fonte de renda da família, a jovem e sua mãe Maheen se vêem obrigadas a recorrer a Gostaham, um tio distante que vive na cidade de Isfahan.

As duas viajam pelo deserto, em lombos de camelo, e chegam à capital.

No Irã do século XVII, sob o império do xá Abbas o Grande, Isfahan é uma cidade cosmopolita, que recebe aventureiros vindos do Ocidente em busca das maravilhas do mundo persa.

Encantada com a cidade, boquiaberta diante da praça Imagem do Mundo e da mesquita Sexta-Feira, com sua cúpula azul-turquesa, a jovem não é capaz de imaginar as provações que a esperaram. Ao lado da mãe, ela é obrigada a enfrentar a perversidade da tia Gordiyeh, mulher de Gostaham. E a dureza do trabalho de todo dia: Limpar a casa, fazer comida, lavar a roupa, cuidar do jardim.Aos poucos, mãe e filha vêem-se transformadas em escravas da família, tão exploradas quanto a dúzia de empregados que cuidam da mansão.

Apesar do cansaço físico, a moça encontra energia para aprender a arte da tapeçaria com o tio. Dono de uma fábrica de tapetes, Gostaham ensina com carinho e paciência os segredos da escolha de fios, cores e desenhos, e a menina aos poucos desenvolve seu talento. Mas o destino atravessa de novo seu caminho e o sigheh - o casamento clandestino-, que parecia a usa chance de ter uma vida feliz, acaba provocando a sua expulsão da casa de Gostaham.

Enfrentar a pobreza das ruas de Isfahan, encontrar um lugar naquele mundo para si e para sua mãe é o desafio da jovem artesã. Os fios da fortuna é a história de uma jovem mulher sem nome que, como quer a autora, constitui uma bela homenagem a todos os anônimos artesãos da tapeçaria persa."

Nenhum comentário:

Postar um comentário